e-bit na mídia

Comércio Eletrônico: entrega de presentes pelos Correios deve crescer 15% neste ano
22/12/2009 Jornal do Povo

Cerca de 1 milhão de produtos vendidos pela internet em dezembro deste ano devem ser entregues pelos Correios, segundo estimativa da empresa, o que representa um aumento de 15% em relação ao mesmo período de 2008.

Como de costume, o Natal aquece as vendas do varejo virtual, provocando um aumento no volume de encomendas geradas pelo comércio eletrônico e que são entregues pelos serviços de SEDEX, e-SEDEX e PAC, dos Correios.

A expectativa da e-bit, consultoria de marketing on-line especializada na pesquisa do comércio eletrônico no Brasil, é que o e-commerce feche 2009 com mais de 17 milhões de pessoas que compraram ao menos uma vez pela internet. Fatores como comodidade, variedade e facilidade de comparar preços são os principais atrativos para os consumidores na web. A e-bit informa, ainda, que o valor médio de compra praticado no segundo semestre será de R$ 323,00 e espera-se que as lojas virtuais atinjam R$ 5,7 bilhões de faturamento no período.

Os bons resultados do comércio eletrônico têm sido percebidos também no tráfego postal ao longo dos anos. Em 2007, 4,9% do total de encomendas entregues pelos Correios tiveram origem no comércio eletrônico. No ano passado, esse número subiu para 6%. Para 2009, a previsão é que o comércio eletrônico seja responsável por 7,5% das encomendas movimentadas pela empresa.

Correios também vendem pela internet

Além da entrega de encomendas geradas pelo comércio eletrônico os Correios também atuam na venda de produtos pela internet. O CorreiosNet Shopping é uma vitrine de produtos de centenas de lojas virtuais que utilizam os serviços de entrega garantida dos Correios.

Já a loja virtual Correios Online oferece selos, aerogramas, cartões e embalagens temáticas, além da possibilidade de se enviar cartas e telegramas de Natal pela Internet, pagando com cartão de crédito.

Todos os serviços podem ser acessados pelo portal dos Correios (www.correios.com.br).



 

Apoiamos causas contra a divulgação de materiais ilegais, agressivos, caluniosos, abusivos, difamatórios, discriminatórios, ameaçadores, danosos, invasivos da privacidade de terceiros, terroristas, vulgares, obscenos ou ainda condenáveis de qualquer tipo ou natureza que sejam prejudiciais a menores e à preservação do meio ambiente. Compre com segurança: conheça seus Direitos de Consumidor.