e-bit na mídia

Compras pela internet trazem conforto, mas exigem atenção
17/12/2009 Diário do Grande ABC

As compras pela internet se tornaram uma opção para quem não quer enfrentar filas em shoppings ou falta de vagas nos estacionamentos nesta época do ano. Além de conforto, elas trazem a possibilidade de comparar preços e pagar em condições facilitadas. No entanto, é preciso tomar uma série de cuidados para não sofrer problemas ou cair em golpes, garantindo, dessa forma, uma transação segura.

Em primeiro lugar, é importante lembrar que nesta época do ano o volume de compras aumenta e, por isso, é bom ser precavido. "Para ter uma margem de segurança ainda maior, a orientação é para que as pessoas comprem com antecedência", aconselha o diretor executivo da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico, Gerson Rolim.

Com o aumento das transações perto do Natal — segundo estimativa da Câmara e da empresa especializada em comércio eletrônico e-bit, as lojas eletrônicas podem atingir um faturamento de R$ 1,63 bilhão este ano, um crescimento de 30% em relação a 2008 —, os golpes também tendem a aumentar. O mais recorrente deles é o chamado "phishing", que consiste em iludir o usuário, permitindo a instalação de programas espiões no computador com o objetivo de capturar senhas de cartões e dados da conta bancária. "Este golpe é aplicado com o envio de e-mails. Na dúvida, a orientação é não clicar em nada", orienta o coordenador do MIS (Movimento Internet Segura), Djalma Andrade.

Outro golpe comum, segundo Andrade, é a criação de sites falsos. "Verifique no browser se o endereço do site corresponde ao que você está navegando. Se o endereço que estiver no browser for diferente do nome do site utilizado, desconfie."

Além disso, é importante checar se a loja possui uma central de atendimento. "No caso de uma loja desconhecida, o fato de ela ter uma central de atendimento revela uma preocupação em atender bem o cliente, o que soma pontos a favor da concretização da compra", explica o coordenador.

Andrade afirma que verificar a forma de pagamento também é essencial na hora de escolher em que site comprar. "Lojas que aceitam pagamentos com cartões devem ser as preferidas, já que as bandeiras e os emissores de cartões fazem uma avaliação criteriosa da empresa antes de permitir que a mesma ofereça esta opção."

Grandes descontos também podem sugerir um possível golpe. O diretor geral da e-bit, Pedro Guasti, pede atenção. "Promoções muito vantajosas, acima de 50%, podem indicar uma empresa ilegal ou que vai vender determinado produto e não entregar", afirma.

Prefira ainda as lojas que apresentem o cadeado, desenho que indica que se trata de um ambiente seguro contra invasões. Segundo Guasti, o ideal é optar por sites conhecidos ou que tenham boas referências, disponibilizadas, inclusive, em alguns sites na internet, como é o caso do próprio e-bit.

Fazer uso de antivírus também é essencial. "Sempre faça compras em um computador que seja seguro. Evite os públicos", aconselha Guasti.

Andrade ressalta que também é importante consultar a política de devolução e de troca da loja virtual, que deve estar exposta na homepage do site, além de guardar os comprovantes. "Tenha em seu poder os recibos, as descrições dos produtos e, no caso de precisar trocar o produto, a nota fiscal."

Transtornos - Mas o que fazer se, mesmo depois de tomadas as devidas precauções, o consumidor ainda se deparar com problemas? Andrade explica que, se o transtorno envolver o produto, é necessário procurar, em primeiro lugar, a própria loja para efetuar a troca ou a devolução do pagamento. "Caso a questão não seja resolvida pela loja, pode-se procurar os órgãos de defesa do consumidor, como o Procon, por exemplo".

Já no caso de a pessoa ser vítima de um golpe, a orientação de Andrade é, primeiramente, entrar em contato com o banco e bloquear o cartão de crédito. Depois, deve-se procurar a polícia e denunciar o ocorrido por meio de um boletim de ocorrência.



 

Apoiamos causas contra a divulgação de materiais ilegais, agressivos, caluniosos, abusivos, difamatórios, discriminatórios, ameaçadores, danosos, invasivos da privacidade de terceiros, terroristas, vulgares, obscenos ou ainda condenáveis de qualquer tipo ou natureza que sejam prejudiciais a menores e à preservação do meio ambiente. Compre com segurança: conheça seus Direitos de Consumidor.