e-bit na mídia

Comércio Eletrônico pode chegar a 1,63 bi no Natal
16/12/2009 Jornal do Comércio

O Natal é conhecido pelos comércios lotados, e pela correria para comprar os presentes, além da pesquisa de preços feita de loja em loja. Mas para os mais precavidos as compras pela internet se mostram cada vez mais atrativas. A facilidade de comprar tudo sem sair de casa pode poupar tempo e dinheiro e atrai cada vez mais adeptos.

Dados da e-bit, empresa de monitoramento do mercado eletrônico, prevêem um aumento de 30% nas compras on line até o final de dezembro podendo atingir o patamar de R$ 1,63 bilhão.

A Direct Express, maior empresa de courier privado do Brasil, que atende empresas como Americanas.com, Submarino, Flores Online, entre outras prevê um crescimento de 50% nas entregas de Natal, no comparativo com 2008. A projeção serve de exemplo para a nova opção de compra dos brasileiros.

No período do Natal (de 20 de novembro a 20 de dezembro) serão movimentadas cerca de 40 mil remessas por dia pela Direct. Sistemas de rastreamento, monitoramento e abastecimento de informações em tempo real permitem que o cliente saiba detalhadamente onde está a entrega, e também permite auxiliar os entregadores com possíveis problemas de não localização ou ausência do cliente. Esta tecnologia possibilita uma queda significativa no insucesso das entregas.

Os couriers estão equipados com um radio comunicador com aplicativo WAP que possibilita a comunicação em tempo real com a empresa caso o cliente não esteja em casa. A informação vai para o sistema e a Direct comunica imediatamente o cliente para solucionar o problema, assim evita-se a não entrega e retorno do pedido.

Com o crescimento da demanda, a Directlog busca o aperfeiçoamento nas entregas, além de toda a tecnologia, a empresa também investiu em um novo Hub operacional com uma área de 12 mil metros quadrados e 8 docas para carga e descarga de caminhões para pequenos e grandes veículos fazendo a capacidade saltar de 22 mil remessas por dia para 50 mil remessas por dia.



 

Apoiamos causas contra a divulgação de materiais ilegais, agressivos, caluniosos, abusivos, difamatórios, discriminatórios, ameaçadores, danosos, invasivos da privacidade de terceiros, terroristas, vulgares, obscenos ou ainda condenáveis de qualquer tipo ou natureza que sejam prejudiciais a menores e à preservação do meio ambiente. Compre com segurança: conheça seus Direitos de Consumidor.