e-bit na mídia

Com Casas Bahia, Pão de Açúcar acirra disputa no comércio eletrônico
4/12/2009 TI Inside

O anúncio da fusão do grupo Pão de Açúcar com as Casas Bahia, além de aumentar o número de lojas físicas das redes varejistas, vai acirrar a disputa no mercado de comércio eletrônico com a líder no ranking B2W, empresa de varejo on-line que engloba os sites Submarino, Americanas.com, Shoptime e Ingresso.com.

Com o negócio, as operações de e-commerce do Extra, Ponto Frio e Casas Bahia, que iniciou em fevereiro as vendas pela internet, serão integradas em uma única empresa, denominada de Nova PontoCom. Com isso, as Casas Bahia passa a ter participação de 17% no capital social da Nova PontoCom.

A expectativa do Pão de Açúcar é que as operações de e-commerce atinjam faturamento de R$ 2 bilhões já em 2010, o que, se confirmado, consolidará a empresa como a segunda maior do segmento de comércio eletrônico, atrás apenas da B2W.

No acumulado dos nove primeiros meses do ano, o conglomerado registrou faturamento de R$ 3,6 bilhões com comércio eletrônico. Em 2008, a B2W obteve faturamento de R$ 4,4 bilhões.

Na opinião de Pedro Guasti, diretor geral da consultoria de marketing on-line e-bit, o negócio traz um impacto significativo no segmento de comércio eletrônico, já que reduz a diferença da líder B2W para o grupo Pão de Açúcar. Segundo ele, com o poder de negociação que a nova empresa terá frente aos fornecedores é provável que consiga preços melhores em alguns segmentos de produtos, principalmente em eletrodomésticos e eletrônicos. "A distância entre as empresas deve seguir diminuindo nos próximos anos, especialmente se conseguir replicar o bom desempenho que vinha obtendo com o e-commerce do Ponto Frio, além do relevante acesso ao comércio eletrônico das Casas Bahia", diz Guasti.

O primeiro reflexo da ameaça para o negócio à B2W já apareceu no desempeno das ações da companhia, que registraram queda de 4,77% no pregão da Bovespa desta sexta-feira, 4.



 

Apoiamos causas contra a divulgação de materiais ilegais, agressivos, caluniosos, abusivos, difamatórios, discriminatórios, ameaçadores, danosos, invasivos da privacidade de terceiros, terroristas, vulgares, obscenos ou ainda condenáveis de qualquer tipo ou natureza que sejam prejudiciais a menores e à preservação do meio ambiente. Compre com segurança: conheça seus Direitos de Consumidor.